segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Explicação - Concordância

SINTAXE DE CONCONRDÂNCIA

Concordância é o processo sintático no qual uma palavra determinante se adapta a uma palavra determinada através de variações em suas flexões:

Cravo vermelho î
Duas casas o adjetivo, o numeral, o pronome e o artigo concordam com o substantivo em
Meu amigo gênero e número
Os livros ì ê
CONCORDÂNCIA NOMINAL

CONCORDÂNCIA NOMINAL

A concordância nominal considera as flexões de gênero e número entre o substantivo e o adjetivo, o artigo, o numeral e o pronome.

PRINCIPAIS CASOS DE CONCORDÂNCIA NOMINAL

1- O adjetivo, o artigo, o pronome adjetivo e o numeral concordam em gênero e número com o substantivo:
Exemplo: Os primeiros alunos de cada classe
} foram ao Zoológico
As primeiras alunas de cada classe

2- O adjetivo ligado a substantivos do mesmo gênero e número vai normalmente para o plural:
Exemplo: Pai e filho estudiosos
} ganharam o prêmio.
Mãe e filha estudiosas

3- O adjetivo ligado a substantivo de gênero e número diferentes vai para o masculino plural:
Exemplo: Alunos e alunas estudiosos ganharam vários prêmios.

4- O adjetivo posposto concorda em gênero com o substantivo mais próximo:
Exemplo: Trouxe livros e revista especializada.

5- O adjetivo anteposto pode concordar com o substantivo mais próximo:
Exemplo: Dedico esta música à querida tia e sobrinhos.

6- O adjetivo que funciona como predicativo do sujeito concorda com o sujeito:
Exemplo: Meus amigos estão atrapalhados.

7- O pronome de tratamento que funciona como sujeito pede o predicativo no gênero da pessoa a quem se refere:
Exemplo: Sua Excelência, o Governador, foi compreensivo.


Casos especiais de concordância nominal

1- Nos adjetivos compostos de adjetivo e adjetivo, o primeiro elemento é invariável:
Exemplo: Curso de letras anglo-germânicas.
2- Os substantivos acompanhados de numerais precedidos de artigo vão para o singular ou para o plural:
Exemplo: Já estudei o primeiro e o segundo livro (livros).

3- Os substantivos acompanhados de numerais em que o primeiro vier precedido de artigo e o segundo não vão para o plural:
Exemplo: Já estudei o primeiro e segundo livros.
A primeira e segunda séries.

4- O substantivo anteposto aos numerais vai para o plural:
Exemplo: Já li os capítulos primeiro e segundo do novo livro.

5- As palavras: mesmo, próprio e só concordam com o nome a que se referem:
Exemplo: Ela mesma veio até aqui.
Eles chegaram sós.
Eles próprios escreveram.

Observação: A palavra só pode também ser advérbio e como tal é invariável:
Veja: Ela só pensa em viajar.

6- A palavra obrigado concorda com o nome a que se refere:
Exemplo: Muito obrigado (masc. Sing.)
Muito obrigada (fem. Sing.)

7- A palavra meio concorda com o substantivo quando é numeral e fica invariável quando é advérbio:
Exemplo: Comi meia pêra.
Minha mãe está meio exausta.

8- As palavras: anexo, incluso e junto concordam com o substantivo a que se refiram:
Exemplo: Trouxe anexas as fotografias que você me pediu.

Observações: Já a expressão em anexo é invariável:
Trouxe em anexo estas fotos.

9- A palavra alerta, como advérbio, é invariável:
Exemplo: Os soldados ficaram alerta.

10- Os adjetivos do tipo: alto, barato, confuso, falso etc., que substituem advérbios em mente, permanecem invariáveis:
Exemplo: Vocês falaram alto demais.
A roupa custava barato.
Vocês leram confuso.
Ela jura falso.



CONCORDÂNCIA VERBAL

A concordância verbal considera as flexões de número e pessoa entre o verbo e o sujeito.

Principais casos de concordância verbal

1- O verbo concorda em número e pessoa com o sujeito simples:
Exemplo: O jornal está aqui.

2- O sujeito composto por elementos da mesma pessoa gramatical leva o verbo para o plural:
Exemplo: O jornal e a revista estão aqui.

3- O sujeito composto por elementos de pessoa gramatical diferente leva o verbo para o plural na pessoa predominante:
· A primeira pessoa predomina sobre a segunda e a terceira:
Tu, ele e eu somos os vencedores.

· A Segunda pessoa predomina sobre a terceira:
Tu e ele sois os vencedores.

4- O verbo concorda com o elemento mais próximo do sujeito composto:
Exemplo: Sobrou-me uma folha de papel, uma caneta e uma borracha.

5- Há formas que vão para a 1ª pessoa do plural para representar a modéstia de quem fala ou escreve, ao invés de se empregar a 1ª pessoa do singular:
Exemplo: Estamos (eu estou) aqui para o que der e vier.

Casos especiais de concordância verbal

1- O sujeito formado de substantivo coletivo acompanhado de nome no plural pede o verbo no singular:
Exemplo: Um bando de garotos jogou bola aqui na rua.

2- O sujeito que tem como núcleo uma forma pluralícia, acompanhado de artigo no plural, pede o verbo no plural:
Exemplo: Os Estados Unidos são uma grande potência.
Os Lusíadas foram escritos por Luís Vaz de Camões.

3- O sujeito formado por um ou dois coletivos partitivos: a maior parte de, grande número e grande parte de pede o verbo ou no singular ou no plural:
Exemplo: A maior parte de nossos jogadores é (são) de origem humilde.

4- O pronome de tratamento, no singular, como sujeito, pede o verbo na 3ª pessoa do singular:
Exemplo: V. Sª já sabe das últimas?

5- O verbo transitivo direto ao lado do pronome se concorda com o sujeito paciente:
Exemplos: Vende-se um apartamento.
Vendem-se alguns apartamentos.

6- O pronome se como símbolo de indeterminação do sujeito leva o verbo para a 3ª pessoa do singular:
Exemplo: Precisa-se de funcionários.

7- O verbo concorda com o pronome antecedente quando o sujeito é um pronome relativo:
Exemplo: Ele, que chegou atrasado, fez a melhor prova.
Fui eu que fiz a lição.

Quando o sujeito é pronome relativo, há várias construções possíveis:
· Que * quem
Fui eu que fiz a lição. Fui eu quem fez a lição.
Fui eu quem fiz a lição.
· o que
Fui eu o que fez a lição.

8- A expressão um e outro pede o substantivo que a acompanha no singular e o verbo no singular ou no plural:
Exemplo: Um e outro texto me satisfaz (satisfazem).

9- A expressão um ou outro pede o verbo apenas no singular:
Exemplo: Um ou outro livro deleitava a minha hora de leitura.

10- A expressão um dos que pede o verbo no singular ou no plural.
Exemplo: Ele é um dos autores que viajou (viajaram) para o Norte.

11- A expressão mais de um pede o verbo no singular:
Exemplo: Mais de um jurado fez justiça à minha música.

12- As palavras: tudo, nada, alguém, algo, ninguém, quando empregados como sujeitos e derem idéia de síntese, pedem o verbo no singular:
Exemplo: As casas, as fábricas, as ruas, tudo parecia poluição.

13- Os verbos dar, bater e soar, indicando horas, concordam com o sujeito:
Exemplo: Deu uma hora.
Deram três horas.
Bateram cinco horas.
Naquele relógio já soaram duas horas.

14- A partícula expletiva ou de realce é que é invariável e o verbo da frase em que é empregada concorda normalmente com o sujeito:
Exemplo: Ela é que faz os bolos.
Eu é que escrevo os programas.

Concordância com o verbo SER

1- Com as palavras tudo, isto, isso, aquilo e o predicativo no plural, o verbo ser também pode ir para o plural:
Exemplo: Tudo eram memórias da infância.
Isto não são coisas que você possa dizer.

2- O verbo ser concorda com o sujeito que dá nome à pessoa:
Exemplo: Frederico é as alegrias do pai.

3- O sujeito que dá nome a algo pede o verbo concordando com o predicativo no plural:
Exemplo: O problema são as suas dívidas.
4- O pronome pessoal sujeito ou predicativo pede a concordância do verbo com ele:
Exemplo: Ele era todo ouvidos e angústia.
O trouxa neste caso fui eu.

5-As expressões é muito, é pouco, é mais de, é menos de, é tanto, quando indicam preço, quan
tidade, peso, ficam com o verbo no singular:
Exemplo: Duas horas não é tanto assim.
Oitocentos gramas é muito.

6- Em horas, datas e distâncias, o verbo ser é impessoal e concorda com o predicativo:
Exemplo: Hoje são quatorze de outubro.
Predicativo

Hoje é dia quatorze de outubro.
Predicativo

É zero hora em São Paulo.
São dez horas da manhã.
São cem quilômetros daqui até lá.
Observação: Emprega-se:
É meio-dia e meia (hora).

A forma adequada é meia e não meio porque a palavra hora está subentendida.

Concordância com os verbos HAVER e FAZER

Os verbos haver e fazer apresentam concordância especial.
O verbo haver apresenta as seguintes peculiaridades:

· No sentido de existir é impessoal e conjuga-se apenas na terceira pessoa do singular:
Havia muitas laranjas no pomar.

· No sentido de existir, e ao lado de outro verbo, torna o outro também impessoal:
Deve haver bons programas hoje.

· No sentido de ter, conjuga-se normalmente:
Eles haviam chegado lá.

O verbo fazer apresenta as seguintes peculiaridades:
· No sentido de tempo é impessoal e conjuga-se apenas na terceira pessoa do singular:
Faz alguns anos que não a vejo.

· No sentido de fazer alguma coisa, conjuga-se normalmente:
Elas fazem malhas de lã.


* * *

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário